quinta-feira, 8 de junho de 2017

Mofo

nesta noite em que o mofo

se espalha
pela casa

e a chuva
insiste

em arranhar
as paredes

feito um tigre

mofa
também

a alma

mas o mofo
d’alma

não cresce
às portas

da melancolia

antes
destila
do Olimpo

a paz

rouba
dos deuses

o néctar

em sua
plural

solitude

é a língua de um sábio
que se cala

a postura de um monge
que medita

os olhos de um iogue
que se fecham

a coragem de Arjuna
que batalha

contra

si mesmo

do mofo d’alma
brotam

cogumelos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários desrespeitosos não serão aceitos.