terça-feira, 11 de outubro de 2016

Resistência


Flores amarelas crescem em meio ao lixo, em uma parada de ônibus próxima a minha casa.

Acho que são margaridas. Não tenho certeza. Acadêmico de filosofia, sei sobre os pré-socráticos e Aristóteles, Nietzsche e Adorno.

Se me pedirem sobre a arché ou sobre a teoria crítica, poderei argumentar.

Mas quase nada sei sobre plantas...

Ainda mais sobre estas, que insistem em crescer em uma terra dura e vermelha, em meio ao lixo, enfeitando minha manhã de domingo.

Tiro uma foto. Envio para um grupo de amigos, no Whats. Eles também não sabem muito sobre flores...

Um amigo me envia o link de um aplicativo usado para identificar plantas. Criado por um botânico, se chama Plantnapp. A ideia é boa, mas a internet do meu celular está ruim e não tenho como baixar o aplicativo...

Uma amiga, no entanto, me adverte: “não são margaridas”.

E se forem ervas daninhas? Pouco importa! Talvez erva daninha seja apenas uma classificação preconceituosa aplicada a plantas que se adaptam a qualquer terreno.

Estas flores, de tão amarelas, me lembraram girassóis. Pelo visto, eles são mais “aristocráticos”, crescendo apenas em terrenos propícios, em terra boa, humosa.

Há tempos tento enxergar girassóis em algum jardim, enquanto percorro, de ônibus, a cidade, sem sucesso.

De qualquer forma, estas pequenas flores amarelas, em sua singeleza e bravura, enfeitaram minha manhã, tanto quanto um girassol teria feito.

Impossível, olhando as florezinhas, não pensar no povo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários desrespeitosos não serão aceitos.